De início veio a inquietude. Deixando de lado o bate-boca se a cena rocker é boa, péssima ou já deu pro gasto, pra eles o que se via não era suficiente. Trazendo referências diversas do Rock, Blues, R’n’B, o que se ouve é algo maduro ou, pros maiores pessimistas, coerente.


Aliás o nome KAPITU não vem à toa, aqui não se tem dependência amorosa, comodismo ou frigidez. Letra e som demarcam liberdade, atitude e pressa por viver. Se um dia a referência do nome da personagem de Assis serviu como tradução ao som dos quatro roqueiros de Niterói-RJ, pra eles, hoje, KAPITU soa quase óbvio.